Conciliar as pessoas em conflitos de interesses! Essa é uma das prioridades da Defensoria Pública de Santa Catarina, que tem uma forte atuação extrajudicial, fechando 2018 com um total de 6.525 mil casos de conciliação e mediação. Essa informação consta no Relatório de Estatística e Produtividade do ano de 2018, elaborada pela Corregedoria-Geral da Defensoria Pública de Santa Catarina.

“ A Defensoria Pública tem a função institucional de promover, prioritariamente, a solução extrajudicial dos litígios, com o objetivo de conciliar as pessoas em conflito de interesses, por meio de mediação, conciliação, arbitragem, enfim”, afirma a Defensora Pública-Geral, Ana Carolina Dihl Cavalin.

Desse modo, já no primeiro atendimento do assistido ou assistida, a Defensoria Pública orienta a respeito das vantagens da solução extrajudicial. “ Visando melhorar a convivência das partes envolvidas, chamamos o outro lado para tentar um acordo amigável, de modo a evitar a judicialização”, admite.

Em 2018, foram 5.184 audiências de conciliação, mediação ou similar nas áreas da Família, Cível e Infância.   Por sinal, mais de 65% das demandas da Defensoria Pública de Santa Catarina concentram-se nas áreas Cível e Familia.

 

 

Valquiria Guimarães

Assessora de Comunicação Defensoria Pública de Santa Catarina 

 

20190121 140922