InstagramFacebookTwitter

A Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina (DPE-SC) recomendou ao município de Lages, na Serra, que suspenda todas as atividades não essenciais, inclusive o transporte público, por pelo menos sete dias. O ofício foi encaminhado diante do preocupante cenário de quase 100% de ocupação de leitos de UTI na cidade.

Nesta quarta-feira (29), os hospitais do município de Lages atingiram 94% de ocupação em todos os leitos de UTI exclusivos para Covid-19 e a cidade contabilizava 1.047 casos confirmados de infecção pelo coronavírus, além de 15 óbitos. Municípios vizinhos com situação semelhante já decretaram a suspensão das atividades não essenciais.

No documento encaminhado ao município, a defensora argumenta que, com as atividades e serviços não essenciais em funcionamento, permanece intensa a circulação de pessoas, propiciando maior transmissibilidade do novo coronavírus

“As medidas tomadas até agora, inclusive com fiscalização de bares e restaurantes, não estão surtindo efeito e a situação sanitária está no limite. Por isso a recomendação de lockdown”, explica a defensora pública Mariana Macêdo.

O prefeito, Antonio Ceron, e o secretário de Saúde, Claiton Camargo de Souza, têm quatro dais para responder à Defensoria, dizendo se acatam ou não a recomendação e por que. Caso contrário, a situação pode ser levada ao Poder Judiciário.

 

Bianca Backes

Assessora de imprensa
DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SANTA CATARINA

(48) 3665-6725 / (48) 98414-8268

Avenida Othon Gama D’Eça nº 622 - CEP 88015-240 – Florianópolis – SC